Filha de Persephone

Minha foto
Brasília, DF, Brazil
"O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesmo compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudades...sei lá de quê!" (Florbela Espanca, Carta no. 147)

Sobre ALICE RUIZ

"Que importa o sentido se tudo vibra"

ALICE RUIZ

tradutor

4 de abril de 2010

O Profundo silêncio das Manhãs de Domingo (LIVRO)

O Profundo Silêncio das Manhãs de Domingode Manuel Jorge Marmelo
Edição/reimpressão: 2007
Páginas: 160
Editor: Quasi Edições


SinopseDomingo é um dia silencioso, já o sabíamos. Na serenidade dessas manhãs, porém, podem escutar-se melhor as histórias que o autor conta - a vida das pessoas quase iguais a nós, personagens desses profundos Domingos


Manuel Jorge Marmelo
Nasceu em 1971, na cidade do Porto. É jornalista desde 1989. Em 1994 ganhou o prémio de jornalismo da Lufthansa e em 1996 a menção honrosa dos Prémios Gazeta de Jornalismo do Clube de Jornalismo/ Press Club. O seu primeiro livro, "O Homem que Julgou Morrer de Amor" (novela e teatro), inaugurou, em 1996, a colecção Campo de Estreia, da Campo das Letras. Publicou, depois, "Portugués, Guapo y Matador" (romance, 1997), "Nome de Tango" (romance, 1998), "As Mulheres Deviam Vir Com Livro de Instruções" (romance, 1999), "O Amor é para os Parvos" (romance, 2000), "Palácio de Cristal, Jardim-Paraíso" (álbum, 2000), "Sertão Dourado" (romance, 2001), "Paixões & Embirrações" (crónicas, 2002), "Oito Cidades e Uma Carta de Amor" (contos e fotos, 2003), "A Menina Gigante" (infantil, 2003) e "Os Fantasmas de Pessoa" (romance, 2004). Tem publicado regularmente textos e contos em diversas antologias e publicações, em Portugal, no Brasil e em França. Alguns destes textos figuram neste livro. Desde Julho de 2001, o seu nome consta do "Dicionário de Personalidades Portuenses do Século XX", da Porto Editora, sendo o mais jovem dos nomes biografados. Em Junho de 2005, com o livro "O Silêncio de Um Homem Só", é-lhe atribuído o Grande Prémio do Conto "Camilo Castelo Branco", da Associação Portuguesa de Escritores em colaboração com a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.


"Dir-se-ia que o autor só pode ser do Porto. Fica-lhe bem.
Como Cesário, escreve a cores, contrariando o preto e branco com que borraram a sua cidade, invariavelmente presente na sua escrita. Talvez abuse da sépia, mas é um estilo, estão lá os azuis e amarelos escondidos entre sorrisos e gestos que deixam o estaticismo fotográfico e ganham cinética enquanto as palavras são cuspidas por ondas frias que não entram no Douro.
Manuel Jorge Marmelo não transpõe a profissão de jornalista para a sua prosa. Fica-lhe bem. Resiste imunologicamente a uma infecção literária que lhe tiraria a liberdade mental. É mais um escritor que contraria a ideia que só se deve publicar depois dos quarenta. Fica-lhe bem.
É impressionante a vastidão da obra e os prémios já alcançados.
Ficam-lhe bem."

por:LewisGreen

quem visita Persephone

______________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________

Link-me !

Link- Me

Link- Me

Persephone faz TRADUÇÕES !

Persephone faz TRADUÇÕES !
camposdejaque@gmail.com

Siga PERSEPHONE ! Follow ME !