Filha de Persephone

Minha foto
Brasília, DF, Brazil
"O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesmo compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudades...sei lá de quê!" (Florbela Espanca, Carta no. 147)

Sobre ALICE RUIZ

"Que importa o sentido se tudo vibra"

ALICE RUIZ

tradutor

20 de novembro de 2010

ACONTECIMENTOS Antonio Cícero/Marina Lima



Eu espero uns acontecimentos
Só que quando anoitece
É festa no outro apartamento
Todo amor vale enquanto brilha, aí e o meu brilhava
Brilho de jóia e de fantasia
Que há com nós?
O que que há com nós dois amor?
Me responda depois...
Me diz por onde você me prende por onde foge
E o que pretende de mim
Era fácil nem dá pra esquecer. Aí, e eu nem sabia
Como era feliz de ter você
Como pode queimar nosso filme?
Um longe do outro morrendo de tédio e de ciúme.
O que é que há com nós?
O que é que há com nós dois amor?
Me responda depois...
Me diz por onde você me prende, por onde foge
E o que pretende de mim.
Eu espero...
Como pode queimar nosso filme?

http://www.vagalume.com.br/marina-lima/acontecimentos.html#ixzz15p8CWtXs


Antonio Cícero: o filósofo e o poeta


Por Jean Oliveira
Quarta-feira - 18/08/2010

Antônio Cícero é o compositor de 'Fullgaz' e 'À francesa', sucessos na voz da irmã Marina Lima

Araçatuba - Antônio Cícero é um homem que trafega diariamente entre dois mundos, o da ideia e o do sentimento. Tendo a poesia e a filosofia como profissões, o escritor possui a inquietude sempre à flor da pele. Sua força de expressão é tão grande que seu talento extrapolou o papel e foi parar nas canções da irmã, a cantora Marina Lima. São de sua autoria sucessos como "Fullgaz" e "À francesa". Ainda na música, ele teve como parceiros expoentes Lulu Santos, Adriana Calcanhoto, Orlando Moraes e João Bosco.

Nesta entrevista à Folha da Região, que faz parte da série "Folha e Grandes Autores", ele fala sobre este equilíbrio entre a razão e o sentimento, e comenta algumas de suas obras. Cícero participou, nesta segunda-feira (16), da 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Falou ao público sobre "Literatura Plural".

A Bienal Internacional do Livro de São Paulo, o terceiro maior evento do mundo nesta área, foi a inspiração para a série, que antes do entrevistado de hoje ouviu Tatiana Belinky (Folha da Região, D1, 17/08/2010), Raimundo Carrero (15), Ana Maria Machado (14), Ignácio de Loyola Brandão (13), Renato Janine Ribeiro (12)e Zuenir Ventura (11), todos autores que estão participando do evento em São Paulo.

REALIZAÇÕES

Em 1996, Antônio Cícero reuniu seus próprios poemas prediletos no livro "Guardar" (Editora Record), vencedor do Prêmio Nestlé de Literatura na categoria Estreante. Em 1997, lançou o disco Antônio Cícero por Antônio Cícero (Editora Luz da Cidade), em que recita poemas de sua autoria.

Antes, em 1994, junto com Waly Salomão, organizou o livro "O Relativismo Enquanto Visão do Mundo" (Editora Francisco Alves) onde reuniu as contribuições filosóficas referentes ao assunto.
No ano de 2000, foi publicado o seu ensaio "Poesia e Paisagens Urbanas", na coletânea "Mais Poesia Hoje", organizada por Célia Pedrosa (Editora 7 Letras).

Confira a entrevista:

O senhor é filósofo e poeta. Como conviver diariamente entre a razão e o sentimento?
Todos nós convivemos diariamente com a razão e o sentimento. Mas, entre a filosofia e a poesia há, realmente, uma diferença grande. Costumo dizer que a filosofia pensa sobre o mundo, mas a poesia pensa o mundo. Ela não se separa do mundo para pensá-lo, como a filosofia, mas mergulha nele. Se eu estiver escrevendo um poema e começar a pensar com conceitos filosóficos, ele se perde. Se eu estiver pensando com conceitos filosóficos, posso escrever um ensaio, mas não um poema.

Como a arte do pensar acaba influenciando sua forma de expressar o que sente?
Acho que tudo o que a gente sabe entra em jogo quando faz um poema. A filosofia também entra, mas apenas como mais um elemento. Ela não é necessariamente mais importante do que as outras coisas que a gente sabe ou intui, ou sonha, ou sofre, ou lembra, ou lê.

Qual seu filósofo e seu poeta preferidos? Tem como traçar um paralelo entre eles?
O filósofo mais importante, para mim é Kant. São muitos os poetas que amo. Um deles é, por exemplo, o romano Horácio. Mas acho que ele e Kant não têm nada em comum. Para mim, a poesia é mais importante do que a filosofia. Uma das coisas que peço à filosofia é que me dê elementos ou armas conceituais para defender o lugar e a autonomia da arte, logo, da poesia. Kant faz isso.

Qual a sensação que o senhor tem ao ouvir alguém cantando ou se referindo a uma música que compôs? Tem preferência em ter um trabalho cantado ou declamado?
É um grande prazer. É bom saber que uma coisa que a gente faz é apreciada. Gosto muito de ouvir as minhas letras cantadas. Gosto também que leiam os poemas que faço para serem lidos, mas não faço questão de ouvi-los sendo declamados. É que faço as letras para que sejam cantadas e ouvidas, porém não faço os poemas para serem declamados, mas apenas lidos.

O senhor mantém a produção de letras de música?
Sim, embora bem menos do que alguns anos atrás. Tenho me concentrado mais em escrever poemas e ensaios.

Já há algum tempo, a poesia que é praticada no Brasil não está sintonizada com nenhum movimento literário. Cada um faz a sua poesia em seu canto. Como leitor, você enxerga alguma característica marcante nesta produção? Seria ela mais lírica?
Na verdade, acho que há de tudo. O tempo dos manifestos ou movimentos de vanguarda já passou. Cada qual faz o que quer. Não tem mais sentido um poeta ou um grupo de poetas querer dizer aos outros como é que devem fazer poesia. Contudo, isso não significa que tudo se equivalha. Não. Como sempre, há poemas maravilhosos, poemas bons, poemas razoáveis e poemas ruins. Só que é preciso considerar cada poema ou cada poeta individualmente, caso a caso.

quem visita Persephone

______________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________

Link-me !

Link- Me

Link- Me

Persephone faz TRADUÇÕES !

Persephone faz TRADUÇÕES !
camposdejaque@gmail.com

Siga PERSEPHONE ! Follow ME !