Filha de Persephone

Minha foto
Brasília, DF, Brazil
"O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesmo compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudades...sei lá de quê!" (Florbela Espanca, Carta no. 147)

Sobre ALICE RUIZ

"Que importa o sentido se tudo vibra"

ALICE RUIZ

tradutor

29 de janeiro de 2012

Filho de Etta James conta como foram os últimos momentos ao lado da mãe à revista


Do UOL, em São Paulo / 21/01/2012 - 17h21

Filho de Etta James, Donto James contou em entrevista à revista "People" como foram os últimos momentos ao lado da mãe, que morreu vítima de complicações de uma leucemia nesta sexta-feira (20). "Foi um dia quieto. Mas sou muito grato por ter passado esses últimos momentos ao seu lado", disse. "Ela praticamente se foi em meus braços e estava disposto a dividir tudo o que eu precisava com ela. De rezar a listar todas as suas realizações como mãe", contou Donto, que explicou que apesar de bem debilitada, Etta olhou para ele antes de partir. "Disse que a amava e que ela era uma mãe maravilhosa, que tinha feito um trabalho maravilhoso e que seus sete netos também a amavam e todos iriam ficar bem". "Com certeza, o mundo perdeu uma lenda hoje. E eu estou muito orgulhoso dela e muito grato", finaliza. "Essa é uma tremenda perda para sua família, amigos e fãs ao redor do mundo", disse sua empresária e melhor amiga Lupe de Leon na sexta. "Ela era uma cantora verdadeira e original. Trabalhei com ela por 30 anos, ela era minha amiga e sentirei sua falta sempre", falou sobre a cantora, considerada ícone do soul, do blues, do rock e do R&B".

Christina Aguilera e Stevie Wonder cantam em funeral de Etta James

29/01/2012 - 09h10 / agencia efe


Centenas de fãs foram ao funeral da estrela do soul e do jazz Etta James, realizado neste sábado na Califórnia, do qual participaram a cantora Christina Aguilera e o músico Stevie Wonder. Etta, que morreu no dia 20 de janeiro aos 73 anos de idade por causa de uma leucemia, era conhecida por sucessos como "At Last" e "Something's Got a Hold on Me".

Durante a cerimônia, realizada na localidade de Gardena, no sul da Califórnia, o reverendo Al Sharpton leu uma breve nota de pêsames enviada pelo presidente americano, Barack Obama. "Sei que todos aqueles que a conheciam e a amavam sentirão profundamente saudades. Será lembrada por sua voz lendária e suas contribuições a nosso patrimônio musical", leu Sharpton da mensagem de Obama em um ato que foi parcialmente televisado.

A cantora, ganhadora de vários prêmios Grammy, nasceu no dia 25 de janeiro de 1938 em Los Angeles, de mãe adolescente e pai desconhecido. "Etta James era de verdade, era autêntica. Era essa autenticidade que era parte de seu carisma que atraía o povo", ressaltou Sharpton. Sharpton exibiu a capa do "New York Times" no dia da morte de James como símbolo do triunfo de uma cantora que começou em um pequeno coro gospel de uma igreja californiana. Pouco antes de interpretar uma versão de "At Last", Aguilera assegurou: "de todas as cantoras que escutei, ela era a que chegou a minha alma diretamente e me falou".

22 de janeiro de 2012

I´d Rather Go Blind - ETTA JAMES

20/01/2012 22:44 - Etta James,ícone do blues,morre / Diário de São Paulo



Cantora estava internada desde e não resistiu às complicações da leucemia,
diagnosticada há 2 anos

Redação

A cantora três vezes ganhadora do Grammy. Etta James, pioneira do rhythm and blues nos anos 50 e conhecida por seu hit “At Last”, morreu aos 73 anos, nesta sexta-feira, nos Estados Unidos, informou seu agente.Etta estava em um hospital de Riverside, na Califórnia, e não resistiu às complicações da leucemia, afirmou Lupe De Leon.

Ela faria 74 anos na próxima quarta-feira.“Ela morreu nesta manhã. Estava com o seu marido e seus filhos”, disse De Leon, amigo e agente de longa data da cantora. Etta foi diagnosticada com leucemia dois anos atrás, mas, antes disso, já estava com a saúde bastante debilitada. Em dezembro, Etta precisou ser internada às pressas, com problemas respiratórios, e seu médico disse que o estágio da leucemia era terminal. A cantora também sofria de diabetes, problemas renais e demência.

Etta James foi uma artista de destaque do R&B com canções como “The Wallflower” e “Good Rockin’ Daddy”. Mas foi a sua gravação de “At Last”, em 1961, que a colocou no mapa da música mundial.

21 de janeiro de 2012

ETTA JAMES, A SUGESTIVA VOZ DE UMA ÉPOCA by Antonio Guirado/VEJA

Los Angeles (EUA), 20 jan (EFE).- O blues e o jazz estão agora menos emocionantes sem a sugestiva e apaixonante voz de Etta James, uma lenda da música que lutou contra seus próprios demônios em forma de dependências químicas durante décadas e que deixou canções, radiografias de seus lamentos, para a eternidade.A intérprete de 'At Last', 'I Just Wanna Make Love to You', 'The Wallflower' e 'Something's Got a Hold On Me' morreu nesta sexta-feira aos 73 anos, na companhia de seu marido e seus filhos, por complicações derivadas da leucemia.Jamesetta Hawkins, seu nome real, foi sobrevivente de uma vida levada ao limite.Nasceu em Los Angeles em 25 de janeiro de 1938. Nunca chegou a conhecer o pai e sua mãe, adolescente no momento do parto, não pôde cuidar dela durante sua infância. Porém, sua poderosa voz foi notada rapidamente no coro gospel de uma igreja de seu bairro após receber aulas do professor James Earle Hines.Sua mãe a levou para San Francisco em 1950 e Etta formou a banda 'The Peaches' - o apelido da artista -, onde foi descoberta por Johnny Otis, que a levou à fama com o tema 'The Wallflower', uma joia do rhythm and blues que teve que ser rebatizada - foi criada como 'Roll With Me Henry' - por suas conotações sexuais.Posteriormente em Chicago assinou com a gravadora Chess Records em 1960, onde acabou aderindo a um estilo mais pop, com 'Stormy Weather', 'A Sunday Kind of Love', 'All I Could Do Is Cry' e a mítica 'At Last', que com seus acordes de violino se transformou em um estandarte do romantismo.Foi uma das canções escolhidas por Barack e Michelle Obama na festa pela nomeação do político democrata como novo presidente dos Estados Unidos.Em meados da década de 1960, Etta optou por um som mais descarnado enquanto enfrentava sua dependência à heroína e criava canções como 'Tell Mama' e a apavorante declaração de amor 'I'd Rather Go Blind'.Seus problemas com as drogas - especialmente cocaína e álcool - não cessaram e Etta foi internada em várias clínicas de desintoxicação durante as décadas de 1970 e 1980, uma época descrita de forma sórdida em sua autobiografia 'Rage to Survive'.No entanto, e apesar de contar com uma saúde muito delicada - chegou a pesar mais de 180 quilos -, conseguiu retornar aos estúdios de gravação e fazer shows incríveis, já transformada em uma dama da música, embora necessitasse de ajuda para entrar e sair do palco.'Pensava que ia morrer', admitiu à revista 'Ebony' em 2003. 'Estava constantemente preocupada com um possível ataque no coração', explicou a artista, que foi submetida a uma operação em 2002 para reduzir seu peso até a metade.Durante sua carreira, abriu shows dos Rolling Stones em 1979, venceu três prêmios Grammy e foi incluída no Salão da Fama do Rock and Roll em 1993.Beyoncé Knowles, uma das artistas influenciadas por sua música, da mesma forma que Tina Turner, Bonnie Raitt e Christina Aguilera, levou sua vida ao cinema no filme 'Cadillac Records' (2008). EFE

Os albuns de ETTA JAMES











20 de janeiro de 2012

Sobre o último CD de ETTA JAMES - The Dreamer(2007)



Etta James anuncia aposentadoria com álbum "The Dreamer"
(10 de dezembro de 2011 )

Aparentemente, a carreira musical de Etta James termina com "The Dreamer".
A lendária vocalista anunciou há alguns meses que este seria seu álbum de
despedida, um grito de adeus antes da aposentadoria. Etta, 73 anos, um dos
últimos nomes ainda na ativa das cantoras da velha escola do blues & soul (e
jazz) passou por maus bocados em 2011. Esteve hospitalizada durante alguns meses
passando por um tratamento contra a leucemia. Ela também sofre de Alzheimer,
desde 2009. Entretanto, as intempéries da vida não a impediram de gravar um novo
trabalho que mostra Etta cantando muito. Era uma espécie de dívida com ela
mesmo, tipo "antes de entrar pra reserva, preciso mostrar ao mundo que ainda
posso gravar um bom álbum". E ela conseguiu.
No repertório canções de Ray Charles, Bobby Bland, Johnny “Guitar” Watson,
Otis Redding e Little Milton, ou seja, garantia do melhor rhythm & Blues do
pedaço, certas vezes, com um temperinho rock and roll. Entre as surpresas, -"me
dá meu gorro" - lá está uma releitura "boogie" avassaladora de “Welcome to the
Jungle” do Guns N’ Roses.
Dê uma canção qualquer pra Etta e ela transforma o número num blues arrasa
quarteirão.
Um disco de tirar o chapéu.

15 de janeiro de 2012

você conhece o MORRO DE SÃO PAULO-Bahia ?



HISTÓRIA

A história de Morro de São Paulo se inicia em 1531, quando o navegador português Martim Afonso de Souza ancorou sua frota na ilha que ele batizaria de Tynharéa e que mais tarde acabou sendo transformado em Tinharé.Em 1534 o território que atualmente compõe o estado da Bahia foi dividido em três Capitanias Hereditárias, que eram grandes extensões de terra doadas pelo rei de Portugal a pessoas de sua confiança para que colonizassem as terras. Estas capitanias foram: a Capitania de Porto Seguro, a Capitania da Bahia e a Capitania de Ilhéus que abrange a Costa do Dendê onde se localiza a ilha de Tinharé. A Capitania de Ilhéus, foi doada a Jorge de Figueiredo Correa, que permaneceu em Portugal e enviou Francisco Romeiro como seu representante para colonizar as terras. Em 1535, Francisco Romeiro chegou na ilha de Tinharé e fundou no extremo norte da ilha o povoado de Morro de São Paulo.Com o passar dos anos, Morro de São Paulo assumiu um papel importante na defesa da costa brasileira, já que esta era alvo de contantes ataques estrangeiros neste período. Em 1624, o comandante holandês Johan Van Dortt desembarca com sua esquadra na ilha de Tinharé antes do ataque à cidade de Salvador.

Assim, sob o comando do governador na época Diogo Luiz de Oliveira, tem início em 1630 a construção da Fortaleza em Morro de São Paulo para proteger o arquipélago de Tinharé e a entrada da Baía de Todos os Santos, evitando assim novos ataques a capital. Após mais de um século de construção, a fortaleza tinha em 1748 uma muralha de quase mil metros de extensão e contava com um efetivo militar de 183 homens e 51 peças de artilharia.Em 1746 foi construída a Fonte Grande com o objetivo de tratar e abaster água potável aos soldados da Fortaleza e aos habitantes da vila e entre os anos de 1850 e 1855 é construído, pelo engenheiro João Monteiro Carson , o farol com a função de orientar os navegadores. Em 1859 Morro de São Paulo recebe a visita da Família Real e de D. Pedro II e de acordo com suas anotações o vilarejo era habitado na época por cerca de 300 famílias.Com o final do período colonial, Morro de São Paulo perde sua importância militar e torna-se um tranquilo vilarejo de pescadores. Somente a partir dos anos 60 começa o desenvolvimento do turismo em Morro de São Paulo, que inicialmente recebia os veranistas vindos principalmente de Salvador. Na década seguinte, Morro de São Paulo recebe a visita de hippies, o que contribuiu para o vilarejo tornar-se conhecido mundialmente.
VILAREJO COM PRAIAS DESLUMBRANTES
Morro de São Paulo é um vilarejo com praias deslumbrantes, paisagens paradísiacas e povoado por pessoas simpáticas e hospitaleiras. Morro de São Paulo, que está situado em uma ilha, só pode ser acessado de barco ou avião já que não circulam carros pelo vilarejo. Sem poluição, sem o barulho de buzinas e sem o estress das grandes cidades, Morro de São Paulo é o lugar perfeito para relaxar, descansar e renovar as energias.Em Morro de São Paulo, além de poder aproveitar a tranquilidade de praias cheias de coqueiros e águas puras e cristalinas, você ainda encontra muita badalação. No Morro você pode curtir muita agitação em badaladas festas com muita gente bonita e que podem durar até o dia amanhecer. Além das praias e da agitacão noturna, você ainda pode fazer trilhas fáceis para visitar monumentos históricos da época colonial ou ainda fazer passeios para as ilhas vizinhas que são oferecidos por agências locais.De fato, Morro de São Paulo é um lugar para todos os gostos e idades. Seja para famílias com crianças que queriam desfrutar de segurança e praias tranquilas, seja para casais em lua de mel ou que queiram aproveitar momentos românticos, ou seja para jovens e solteiros ávidos por festas, badalação e paquera.
É, são muitos os adjetivos com as quais pode-se tentar descrever Morro de São Paulo: paradisíaco, encantador, espetacular, maravilhoso, fantástico, extraordinário... Entretanto simples palavras não podem expressar o encanto e a energia deste lugar. É necessário ver pessoalmente e sentir a magia que Morro de São Paulo tem. Coloque sua bermuda, chinelo, camiseta e protetor solar e a vontade de desestressar na sua mala e venha para este paraíso.
LOCALIZAÇÃO
Morro de São Paulo está localizado na região da Costa do Dendê no estado da Bahia, mais precisamente na ilha de Tinharé que fica situada a 60 quilômetros ao sul de Salvador.
Com cerca de 400 km², a ilha de Tinharé além de abrigar o famoso vilarejo de Morro de São Paulo, abriga também os povoados da Gamboa, Garapuá e Galeão.A ilha de Tinharé pertence ao município de Cairu e a sede deste município é a cidade de Cairu que fica situada em uma ilha que leva o mesmo nome. As ilhas de Tinharé, Cairu e Boipeba, assim como algumas ilhas menores compõem o arquipélago de Tinharé.

COMO CHEGAR EM MORRO DE SÃO PAULO
Há diversas alternativas de transporte para chegar em Morro de São Paulo que tanto variam no custo quanto no tempo gasto na viagem. As cidades que dão acesso a Morro de São Paulo são Salvador e Valença.À partir de Salvador as alternativas de transporte para Morro de SP são os táxis aéreos, as lanchas/catamarãs, e ainda uma combinação de balsa, ônibus/carro e barco/lancha. Entretanto quem estiver viajando de ônibus ou carro terá que passar pela cidade de Valença e de lá pegar um barco ou lancha para Morro de São Paulo, já que em Morro de SP não entram carros e nem circulam ônibus.

13 de janeiro de 2012

Sobre a LAVAGEM DO BONFIM Salvador-Bahia




Um dos maiores exemplos do sincretismo religioso da Bahia de Todos os Santos, a Lavagem do Bonfim reúne elementos do catolicismo e do candomblé. Um grande cortejo de devotos percorre cerca de dez quilômetros do Largo da Conceição até o Largo do Bonfim. Nas escadarias da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, baianas vestidas com suas roupas típicas, seguram vasos com água-de-cheiro para lavar as escadarias e também o adro do templo. Devotos e grupos de Afoxé se vestem de branco em homenagem a Oxalá Oxalá é uma divindade do candomblé que é associada ao Senhor do Bonfim. e cantam o hino para louvar o Senhor do Bonfim.Após a Missa, barracas de comidas típicas e shows musicais completam a diversão. A Lavagem do Bonfim é considerada a maior festa religiosa da Bahia chegando a reunir cerca de 1 milhão de pessoas.

6 de janeiro de 2012

PERSEPHONE VAI À GUARAJUBA - BAHIA


Guarajuba, um balneário baiano formado por com belíssimas casas de veraneio,
numa das mais belas praias de coqueiral do Brasil fica a 42 Km da tradicional
cidade turística de Salvador/Bahia a 42 Km do Aeroporto Luis Eduardo
Magalhães.
Guarajuba, is a beach of Bahia formed by with gorgeous houses
of summering, in one of most beautiful beaches of coqueiral of Brazil is the 42
km of the traditional tourist city of Salvador/Bahia the 42 km of the Airport
Luis Eduardo Magalhães.
Durante o período de maré baixa, é possível
passear por cima de um recife no qual se encontram aquários naturais com peixes
e corais coloridos e boas condições para a pesca.
During the period of
tide low, it is possible to take a walk over a reef in which if they find
natural aquariums with fish and colorful chorales and good conditions for
fish.
Guarajuba esta localizada no Município de Camaçari, e é constituída
de diversos condomínios (Cond. Paraíso; Mar Azul; Corais; Cond. Água e Paraíso
dos Lagos) de casas, proporcionando uma maior tranqüilidade e segurança para os
visitantes.
Guarajuba this located in the City of Camaçari, and is
constituted of diverse condominiums (Cond. Paradise; Blue sea; Chorales; Cond.
Water and Paradise of the Lakes) of houses, providing a bigger tranquillity and
security for the visitors.
A praia de Guarajuba oferece diversas opções
de lazer como: mergulho em piscinas naturais, wind surf, surf e banho em águas
calmas e limpas. Isso é possível por apresentar por toda sua extensão litorânea
uma variedade de praias. Que agradam a crianças, adolecentes e adultos. Tudo em
ambiente familiar.
The beach of Guarajuba offers diverse options of
leisure as: diving in natural swimming pools, wind surf, surf and bath in calm
and clean waters. This is possible for presenting for all its littoral extension
a variety of beaches. That they please the children, adolecentes and adults.
Everything in familiar environment.

Guarajuba, um balneário baiano formado por com belíssimas casas de veraneio,
numa das mais belas praias de coqueiral do Brasil fica a 42 Km da tradicional
cidade turística de Salvador/Bahia a 42 Km do Aeroporto Luis Eduardo
Magalhães.Guarajuba, is a beach of Bahia formed by with gorgeous houses
of summering, in one of most beautiful beaches of coqueiral of Brazil is the 42
km of the traditional tourist city of Salvador/Bahia the 42 km of the Airport
Luis Eduardo Magalhães.Durante o período de maré baixa, é possível
passear por cima de um recife no qual se encontram aquários naturais com peixes
e corais coloridos e boas condições para a pesca.During the period of
tide low, it is possible to take a walk over a reef in which if they find
natural aquariums with fish and colorful chorales and good conditions for
fish.Guarajuba esta localizada no Município de Camaçari, e é constituída
de diversos condomínios (Cond. Paraíso; Mar Azul; Corais; Cond. Água e Paraíso
dos Lagos) de casas, proporcionando uma maior tranqüilidade e segurança para os
visitantes.Guarajuba this located in the City of Camaçari, and is
constituted of diverse condominiums (Cond. Paradise; Blue sea; Chorales; Cond.
Water and Paradise of the Lakes) of houses, providing a bigger tranquillity and
security for the visitors.A praia de Guarajuba oferece diversas opções
de lazer como: mergulho em piscinas naturais, wind surf, surf e banho em águas
calmas e limpas. Isso é possível por apresentar por toda sua extensão litorânea
uma variedade de praias. Que agradam a crianças, adolecentes e adultos. Tudo em
ambiente familiar.The beach of Guarajuba offers diverse options of
leisure as: diving in natural swimming pools, wind surf, surf and bath in calm
and clean waters. This is possible for presenting for all its littoral extension
a variety of beaches. That they please the children, adolecentes and adults.
Everything in familiar environment.Guarajuba, um balneário baiano formado por com belíssimas casas de veraneio,
numa das mais belas praias de coqueiral do Brasil fica a 42 Km da tradicional
cidade turística de Salvador/Bahia a 42 Km do Aeroporto Luis Eduardo
Magalhães.Guarajuba, is a beach of Bahia formed by with gorgeous houses
of summering, in one of most beautiful beaches of coqueiral of Brazil is the 42
km of the traditional tourist city of Salvador/Bahia the 42 km of the Airport
Luis Eduardo Magalhães.Durante o período de maré baixa, é possível
passear por cima de um recife no qual se encontram aquários naturais com peixes
e corais coloridos e boas condições para a pesca.During the period of
tide low, it is possible to take a walk over a reef in which if they find
natural aquariums with fish and colorful chorales and good conditions for
fish.Guarajuba esta localizada no Município de Camaçari, e é constituída
de diversos condomínios (Cond. Paraíso; Mar Azul; Corais; Cond. Água e Paraíso
dos Lagos) de casas, proporcionando uma maior tranqüilidade e segurança para os
visitantes.Guarajuba this located in the City of Camaçari, and is
constituted of diverse condominiums (Cond. Paradise; Blue sea; Chorales; Cond.
Water and Paradise of the Lakes) of houses, providing a bigger tranquillity and
security for the visitors.A praia de Guarajuba oferece diversas opções
de lazer como: mergulho em piscinas naturais, wind surf, surf e banho em águas
calmas e limpas. Isso é possível por apresentar por toda sua extensão litorânea
uma variedade de praias. Que agradam a crianças, adolecentes e adultos. Tudo em
ambiente familiar.The beach of Guarajuba offers diverse options of
leisure as: diving in natural swimming pools, wind surf, surf and bath in calm
and clean waters. This is possible for presenting for all its littoral extension
a variety of beaches. That they please the children, adolecentes and adults.
Everything in familiar environment.


3 de janeiro de 2012

PERSEPHONE VAI AO BAIRRO 2 DE JULHO-SALVADOR " Quero morrer olhando o infinito azul "






O Largo Dois de Julho é tradicionalmente um bairro de clase média, debruçado sobre a Baía de todos os Santos. Recentemente passou por um processo de revitalização, mantendo ainda a presença de moradores antigos, comércios informal e formal, bares e museus, com destaque para o Museu de Artes Sacra, considerado um dos mais importantes monumentos da América Latina.Pelas ruas do bairro já perambularam Gregório de Mattos e Glauber Rocha, símbolos da intelectualidade baiana e o poeta Castro Alves. Dias antes de morrer, na casa de nº 50, da ladeira do Sodré, próximo ao Largo Dois de Julho, disse o poeta: Quero morrer olhando o infinito azul, referindo-se a vista do bairro para o céu e a Baía, um dos fatos marcantes da história do bairro.No período do descobrimento do Brasil, séc.XVI, o local foi rota de passagem dos colonizadores no caminho da Vila Velha (atual Vitória), percurso que unia as duas vilas da cidade. Também foi passagem do Exército Brasileiro, em 2 de Julho de 1823, dia da Independência da Bahia. Área CENTRO .




O nome “Dois de Julho” registra a data
da Independência da Bahia, ocorrida em 02 de julho de 1823. o Largo foi formado
pelo alargamento da rua do Fogo e parte do quintalão de uma antiga casa,
o Palácio do Marechal Acioli, pertencente por herança ao coronel Antônio Pedrosa
de Albuquerque; é logradouro da segunda metade do século XIX.Inicialmente
era Largo do Acioli, que muitas vezes participou das homenagens da Independência
da Bahia, e era onde se finalizava o cortejo comemorativo. Passou a se chamar
Largo Dois de Julho quando lhe puseram um chafariz da companhia do Queimado;
esse chafariz, também chamado a “Cabocla Dois de Julho”, depois ter andado pela
cidade e ter estado no Largo do Teatro São João (Praça Castro Alves) e na Praça
da Piedade, foi levado para aquele local, contribuindo para o abastecimento de
água e, posteriormente, foi levado para o Largo dos Aflitos, em frente ao
Quartel, onde se encontra até os dias atuais.



No Largo, próximo à rua da Faísca, encontramos ainda hoje um casarão muito
antigo, o único do lugar que ainda existe. Nele funcionou o MEC e hoje funciona
o CEAFRO.No final do Largo, em direção ao mar (do lado direito)
encontramos a rua da Jaqueira, estreita, sinuosa, quase em sua totalidade
pavimentada de pedras irregulares, que ainda liga o Largo ao litoral da
Preguiça, hoje quase totalmente abandonada, sendo possível o trânsito apenas de
pedestres e com bastantes dificuldades. Nessa ladeira, na parte superior,
existia um grande sobrado, o Solar da Jaqueira, um verdadeiro palácio e ponto de
encontro de artistas da época; era a casa do grande e inesquecível artista
plástico Carlos Bastos, falecido. Ao lado esquerdo da rua da Jaqueira, está a
rua Democrata, a antiga rua do Hospício; pequena, pouco movimentada, apesar da
presença do Clube Fantoches da Euterpe, fundado em 09/03/1884, no corredor da
Vitória. Veio para o Dois de Julho em 1937, e considerado de utilidade pública
em 24/03/1938.Até o final da década de 60 do século passado, o clube
participava com carros alegóricos dos carnavais de Salvador.
Logo adiante, no mesmo lado da rua, encontramos a Igreja do Coração de Maria, fundada
na década de 40 do século passado, onde funcionou o convento dos Cordimarianos.
Nesse local, funcionou também o antigo hospício da residência do Vice-Comissário
da Santa Casa de Jerusalém. Já no final da rua, em uma viela logo após a Escola
Estadual Permínio Leite, avistamos um grande casarão com fundos voltados para a
Baía de Todos os Santos. Possuía 39 quartos, reduzidos a 30, hoje HOTEL CLOCK,
quase abandonado; uma espécie de motel, que, em meados do século passado, foi o
Hotel Douglas e, depois, o Famoso Hotel Paraíso, que funcionava na parte
superior e na parte inferior a Boate CLOCK, freqüentada pela elite da época, que
desfrutava do belo visual e das festas e bailes que aconteciam com freqüência
ali.A rua Visconde de Mauá está voltada inteiramente para a Baía de Todos os
Santos, se encontra com a Ladeira da Preguiça na parte inferior, é calçada de
pedras e parte dela construída com viadutos margeados. A grande escarpa,
pavimentação feita ainda na intendência do engenheiro Durval Neves da Rocha, no
cruzamento com a rua da Jaqueira, ganhou um pequeno viaduto com cerca de 2m de
cumprimento.Mais abaixo, já próximo à Preguiça, fica a antiga fonte dos
Padres, do antigo convento Santa Tereza. Hoje desativada e entupida. Descendo a
Preguiça chegamos à Avenida Contorno; a parte dela que coincide com a área
delimitada para nosso trabalho vai do Trapiche Adelaide até o Solar do Unhão.
Esta avenida foi construída no governo de Juracy Magalhães em 1953, margeando a
orla da Preguiça, e é uma das principais vias de acesso à Cidade Baixa e ao
chamado subúrbio ferroviário de Salvador. O Trapiche Adelaide foi transformado
em restaurante famoso; ao seu lado; nos galpões da antiga usina da Companhia
Circular ou apenas Usina da Preguiça, funciona uma casa de shows; logo após era
o Trapiche Valença; do lado oposto está a Fonte da Pedreira, integra a área
tombada pelo IPHAN, possui quatro bicas funcionando em nível inferior, frontão
triangular clássico e possui uma placa de mármore com a seguinte inscrição:
“Fonte das Pedreiras, reedificada na presidência do Exmo. Conselheiro e Senador
do Império Francisco Gonçalves Muniz – 1851”.Em seguida temos a Bahia
Marina, uma moderna e bela construção que funciona como ancoradouro de barcos,
lanchas e saveiros de luxo; encontra-se ali um luxuoso restaurante o SOHO e um
amplo estacionamento que também pode ser utilizado para grandes
eventos.Voltando ao Largo Dois de Julho, ao lado da rua Diplomata temos a
Ladeira do Gabriel. Na parte inferior, a Ladeira do Gabriel é interrompida pela
rua Augusto França, que desce até a Av. Contorno. Na esquina da Augusto França
com a Travessa do Gabriel, está a Fonte do Gabriel ou Fonte da Vovó: abandonada
e suja, cercada com um muro alto nos dois lados da rua e por duas casas, foi
isolada por insistência dos moradores das proximidades, pois, na década de 70,
os hippies tomavam banho nus e também era um local de uso e tráfico de drogas,
atos facilitados por um beco, a Travessa do Gabriel, e um outro beco, que ligava
este a rua Tuiuti, este último posteriormente foi fechado pelos moradores.A
Rua da Faísca é curta, quase uma extensão do largo Dois de Julho ligando-o à Rua
Carlos Gomes. O nome Faísca é devido ao paiol da cidade, o depósito de pólvora e
munição: na metade do século XVIII, num temporal um raio atingiu o paiol
causando um grande pânico na cidade; mais tarde, o paiol foi transferido para
uma área menos povoada, que hoje conhecemos como Campo da Pólvora.No lado
mais elevado do Largo, temos duas ruas paralelas que partem do Largo em direção
ao Norte. A origem do nome Areal não se sabe ao certo, nos faltaram informações
suficientes, mas o Areal de Cima e o Areal de Baixo é devido ao desnível
existente entre elas.Apesar dos problemas atuais, esse bairro foi marcado
pela presença de moradores ilustres da vida boêmia, intelectuais e episódios
políticos importantes.Foi no Largo Dois de Julho que, em 15 de maio de 1931,
foi assassinado o Coronel Horácio de Queiroz Matos, tradicional chefe político
sertanejo.O bairro Dois de Julho também serviu de inspiração para o escritor
Jorge Amado, freqüentador assíduo e amigo de pessoas que ali viviam. No livro
Dona Flor e seus dois maridos, os fatos acontecem no bairro Dois de Julho e
aparecem nomes de amigos do escritor que moravam nesse bairro e viraram
personagens do livro.A Rua do Sodré, vai da Rua do Cabeça, descendo, até se
encontrar com a ladeira da Preguiça, que vai dar acesso à Conceição da Praia e à
Praça Castro Alves. Pavimentada com pedras, estreita, comprida e reta, guarda
inúmeros casarões dos séculos XVIII e XIX. A parte final, em direção à Preguiça,
onde sua inclinação é mais acentuada, é batizada de Ladeira da Gameleira.
Partindo da Cabeça, do lado esquerdo, em frente ao fundo do Instituto de Música
da UCSal (Universidade Católica do Salvador), temos o Beco de Maria do Mingau,
formado por pequenas casas improvisadas em pequenos espaços, que liga o Sodré, ao Areal de Cima, e ao largo Dois de Julho.Mais abaixo, do mesmo lado, temos uma transversal que é
extensão da Areal de Cima. Logo em seguida, ainda no mesmo lado, há uma viela
que segue aproveitando os muros do Museu de Arte Sacra, com pequenas casas do
lado oposto, formando uma espécie de cortiço.Adiante, do lado direito, bem
em frente ao Museu, temos a ladeira de Santa Tereza, curta e muito inclinada,
ligando o Sodré à Carlos Gomes.A parte final da rua do Sodré se encontra com
a Ladeira da Preguiça ou Rua Dionísio Martins; juntamente com a Misericórdia e a
Conceição, foram as três primeiras ladeiras da cidade do Salvador. Ela ligava o
antigo porto de Salvador à cidade que ficava no alto; com o desenvolvimento
urbano e dos meios de transportes, foi esquecida e abandonada. A ladeira é
arqueada, sem dúvida para diminuir a inclinação da encosta, nela temos sobrados
abandonados e outros em péssimo estado de conservação. Foi a importância histórica dessa ladeira que deu nome a toda a extensão da praia do bairro Dois
de Julho: Litoral da Preguiça.O nome “Rua do Sodré” se deve ao português
Jerônimo Sodré Pereira, que veio para Salvador em 1661. Aqui chegando manda
construir, na rua que ainda hoje lhe guarda o nome, um grande sobrado, o solar
do Sodré.Quando faleceu Jerônimo Sodré Pereira, em 09 de novembro de 1711, o
Solar foi adquirido por Francisco Lopes Guimarães. Com a morte desse senhor, sua
viúva veio a contrair segundas núpcias com o doutor Antônio José Alves, pai do
poeta Antônio Frederico de Castro Alves, que nele viveu durante algum tempo,
época em que produziu sua fase romântica, e onde faleceu a 06 de julho de 1871.
No Solar do Sodré a partir do século XX, funcionaram os colégios alemão,
Piedade, Antônio Vieira, Ipiranga do Professor Isaías Alves e atualmente
funciona o Colégio Estadual Ypiranga. O prédio foi tombado pelo IPHAN em
12/07/1938.Sendo um homem de fortuna Jerônimo Sodré Pereira ajudou na
construção do Seminário de Santa Tereza, em cuja nave encontra-se sepultado. O
edifício integra o sítio do Sodré, tombado pelo IPHAN, situa-se a meia encosta
da montanha de Salvador. Edifício de elevado valor monumental. O altar-mor
primitivo se perdeu e o atual, de prata, é proveniente da antiga Sé. Existem
altares barrocos e dois neoclássicos. Hoje Museu de Arte Sacra, cujo acervo é a
maior coleção de arte sacra do país. Atualmente é local de cerimônias da elite
da Bahia.A Rua do Sodré também foi citada inúmeras vezes pelo escritor Jorge
Amado em seu livro Dona Flor e seus dois maridos; ele inclusive, quando ainda
estudante, também morou na rua na casa de n.º 31, um prédio que se encontra
abandonado.Hoje a rua do Sodré guarda parte dos tempos primórdios da nossa
história e ainda é freqüentada por uns poucos boêmios, intelectuais, músicos e
poetas, quem sabe em busca de inspiração do poeta maior Antônio de Castro Alves.
Há alguns poucos e pequenos bares os quais usam a via pública com cadeiras e
mesas, dividindo o espaço com carros e as pessoas que passam; entre eles o mais
conhecido é o Bar Mimosa. A rua é quase em sua totalidade de residências e
poucos pontos comerciais.Partindo do Cabeça podemos observar que no seu
início foi bastante modificada, com algumas construções novas e, a partir de
determinado ponto, guarda as características dos tempos em que vivia a sua
efervescência cultural.A Rua Carlos Gomes antes denominada Rua de Baixo de
São Bento, justamente por causa do desnível existente entre ela e a Avenida Sete
de Setembro.Essa rua fazia parte do Bairro de São Bento, até que, no início
do século XIX, houve a sua expansão. Com a necessidade de alargar a rua para
melhor circulação, ocorreu, durante o governo do Dr. Durval Neves da Rocha, a
demolição dos fundos de várias casas, e a rua, a partir do Mocambinho se
estendeu até os Aflitos.A rua recebeu o nome de Carlos Gomes em homenagem ao
maestro e compositor brasileiro.Na altura da ladeira de Santa Tereza, em
frente ao beco Maria da Paz, a antiga casa de Orações dos Jesuítas, atual
Conjunto Cultural da Caixa Econômica Federal, onde funcionou os jornais Estado
da Bahia e Diário de Notícias, e a Rádio Sociedade da Bahia. Inclusive foi nesta
casa que houve a transmissão do primeiro sinal de TV para o Estado da Bahia,
através do empresário Assis Chateaubriand. Esse prédio foi tombado pelo IPHAN,
em 18 de julho de 1938.Na esquina da rua Carlos Gomes com a rua da Faísca,
encontramos um prédio construído no período do governo de Durval Neves da
Rocha,antigo Arquivo Público, nele hoje funciona a Defesa do Consumidor
(PROCON).Essa rua também é marcada por sua vida noturna ativa, havendo a
presença de garotas e travestis que fazem da avenida ponto de prostituição.
Podemos destacar várias boates, inclusive a Tché Night Club, a mais famosa da
área.A avenida Carlos Gomes é a principal via de acesso ao Largo Dois de
Julho e, apesar de toda transformação, ainda guarda as características de um
passado.A Rua do Cabeça liga a Carlos Gomes ao Largo Dois de Julho, é
estreita e pequena, possuindo apenas uma transversal, a Rua do Sodré, e um
pequeno beco, o do Mingau, na esquina com o Largo Dois de Julho, apresentando
asfaltamento em péssimas condições de conservação.No período em que a
matança do gado se fazia nas imediações do Mosteiro de São Bento e o comércio
dos seus subprodutos espalhava-se por diversas ruas ali por perto, nessa rua as
fateiras costumavam expor nas portas dos açougues ou em seus tabuleiros as
cabeças de bois, decorrendo daí o nome Rua do Cabeça, conforme registro de 1866
do historiador Mello Morais. Já foi batizada de Rua Gustavo dos Santos no
período entre as décadas de quarenta e sessenta, posteriormente voltando ao seu
nome de origem.A partir da inauguração, na casa de n.º 34, do Bar Anjo Azul,
no dia 2 de julho de 1949, o lugar tornou-se uma área de encontro de
intelectuais. Carlos Bastos, artista plástico, foi um dos seus idealizadores.
Atualmente, o que se pode observar na Rua do Cabeça é um comércio intenso, com
açougues, mercadinhos, restaurantes, bares, armarinho e vendedores ambulantes de
forma desordenada, com mercadorias a céu aberto e muita sujeira.A presença
de chineses no comércio é marcante; associa-se a decadência do local à sua
chegada. Com a expansão da cidade, as famílias tradicionais, de posses, se
deslocaram para outros bairros, principalmente, os da orla.O Mocambinho ou
Largo das Flores, como popularmente é conhecido, devido à existência de galpões
com boxes destinados ao comércio de flores, que anteriormente fora transferido
para o Largo Dois de Julho, algum tempo depois retornando para o mesmo local,
caracteriza-se pelo formato triangular, delimitado pela Rua Carlos Gomes, pela
Rua do Cabeça, que cruza a Carlos Gomes, encontrando-se com a Avenida Sete de
Setembro, e uma fileira de casas comerciais. No encontro dessas casas com a
Carlos Gomes, temos o beco do Mocambinho, que também dá acesso à Avenida Sete,
em frente ao Instituto Geográfico e Histórico.Nessa localidade observa-se a
existência de pontos comerciais tradicionais, como o restaurante Porto do
Moreira e a Pharmacia Luz, ambos fonte de inspiração para o escritor Jorge Amado
no romance Dona Flor e seus dois maridos.Hoje a área é ocupada por diversas
pessoas, trabalhadores, mendigos, crianças abandonadas; há além dos boxes de
flores, uma banca de revistas e um módulo policial, o qual não minimiza a
insegurança no Largo.O nome da Rua da Forca nos remete à maior tortura
legalizada em um período da nossa história, remota, mas que ainda está
registrada nesse trecho do bairro Dois de Julho: os condenados, que saiam da
casa da câmara e cadeia, cumprindo o seu último e pavoroso trajeto andando em
direção à morte, desciam a Rua Direita do Palácio (atual Rua Chile), chegando ao
Largo Dois do Teatro São João, hoje Praça Castro Alves. Daí subiam a Rua de
Baixo de São Bento, atual Carlos Gomes, até a altura do Largo do Mocambinho, que
nesse período ainda não existia, dobravam a direita à Rua Gustavo dos Santos
(Rua do Cabeça) até chegar ao Largo do Acioli, mais tarde Dois de Julho. Dali
retornavam por uma rua reta, contínua, sem interrupção nem travessas. Essa rua,
a da Forca, do Largo de onde se avistava toda sua extensão, é o que podemos
chamar de corredor para a morte; ao fundo os condenados avistavam todo aquele
arsenal armado que o aguardavam para o seu abate, muitas vezes em nome da
liberdade daqueles que os acompanhavam, assistindo a toda aquela tragédia até o
destino final na Praça da Piedade.A pena de morte não existe mais em nosso
país. Hoje o nome Rua da Forca, faz parte da nossa história; ela liga o Largo
Dois de Julho à Praça da Piedade. Partindo do Largo até o cruzamento com a
Carlos Gomes é pavimentada com pedras e ainda guarda alguns casarões antigos
parcialmente conservados e quase em sua totalidade casas comerciais. E a partir
daí até a Piedade totalmente modificada com prédios novos e asfaltada.


GUIA DA RUA : 2 de Julho


Teatro
Castro Alves

Teatro e Cultura
Praça Dois de Julho,,
s/nº ver
mapa
Campo Grande, Salvador - BA


O Lider
Restaurante
Lg Dois de Julho, 32 ver mapa
Lj Edf Emily, São Cristóvão, Salvador - BA


Mercadinho
Bola Verde - - Dois de Julho

Alimentos
Lgo Dois de Julho, 45 ver
mapa
Cs, Dois de Julho, Salvador - BA

Mercadinho
Dois de Julho

Alimentos
Lrg. Dois de Julho, 32 ver
mapa
Ed Emily, 2 de Julho,
Salvador - BA

Mocambinho Bar Rua da Faísca, 12 - Centro - Dois de Julho
Funcionamento de terça a sábado Das 18:00 ás 02:00

2 de janeiro de 2012

BARRA - Salvador






A Barra é um dos bairros mais tradicionais de Salvador, capital da Bahia, pertencendo a Região Administrativa VI, de mesmo nome. Possui uma localização geográfica única no mundo, onde é possível ver tanto o nascer quanto o pôr-do-sol no mar, pois ocupa o vértice da península em que está a cidade. É banhada pelo Oceano Atlântico de um lado e de outro está a Baía de Todos os Santos em sua parte interna. E preserva em sua paisagem um acervo histórico e arquitetônico valioso para o Brasil, sendo o Farol da Barra seu ícone mais famoso, ao lado dos fortes de Santa Maria e São Diogo. Suas praias, principalmente o Porto da Barra são frequentadas por diferentes públicos e classes sociais, que se desdobram em suas areias brancas e águas tranqüilas.

História

No início da colonização do território brasileiro, El-Rei Dom João III doou a capitania hereditária da Baía de todos os Santos ao donatário Francisco Pereira Coutinho, que se instalou na região, em 1534, fundando o Arraial do Pereira nas imediações onde hoje se situa a Ladeira da Barra, e construindo as “casas para cem moradores” que, doze anos depois ainda seriam encontradas por Tomé de Sousa na época da fundação da cidade, chamada de Vila Velha, referida nas cartas dos jesuítas e nos documentos do primeiro governador-geral.

Onde atualmente se encontra a Igreja de Santo Antônio da Barra foi erguida uma fortaleza, um castelo feito de taipa e madeira.

Também ocorre a primeira experiência de miscigenação da cultura nativa indígena com o branco europeu na história do Brasil, tendo nas figuras de Diogo Álvares Correia, o Caramuru e sua esposa, a índia Catarina Paraguaçu os principais elementos históricos, sendo este chamado tempos depois pelo poeta Gregório de Mattos de "o Adão de Massapê", pai da civilização baiana.Foi no atual Porto da Barra, que o governador-geral Tomé de Sousa desembarcou com homens e materiais, fundando a cidade de São Salvador da Bahia de Todos os Santos no ano de 1549, século XVI. Na época, a vila já contava com mais de mil habitantes, entre indios e europeus; após a criação da capital, a Vila Velha foi lentamente se esvaziando até desaparecer completamente, no século XVII.Até o século XIX, permanece como um subúrbio da cidade, tornado depois um balneário marítimo na primeira metade do século XX, e após a transformação do Caminho do Conselho na Avenida Sete, se inicia o processo de consolidação como bairro importante.Em 1942, é construído o Edificio Oceania, seu marco mais conhecido da arquitetura moderna.

quem visita Persephone

______________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________

Link-me !

Link- Me

Link- Me

Persephone faz TRADUÇÕES !

Persephone faz TRADUÇÕES !
camposdejaque@gmail.com

Siga PERSEPHONE ! Follow ME !